Área do Integrador

NotíciasComo a dimerização de LED pode tornar seus projetos mais eficientes?

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Esqueça os sensores de presença! Saiba por que a dimerização inteligente de LEDs é a inovação mais efetiva para a economia de seu projeto de automação.

Sejamos francos: existe maior preocupação em automação atual do que a economia em energia?

Mesmo com todo o conforto que uma casa inteligente proporciona, os projetos de iluminação continuam sendo o serviço mais requisitados. Nem mesmo, a automação de áudio e vídeo, com suas funcionalidades de entretenimento consegue fazer frente a iluminação automatizada.

Seja na automação residencial ou corporativa, o cenário é bastante similar.

Não obstante, os integradores foram desafiados a desenvolver projetos de iluminação de altamente técnicos com as novas tecnologias que surgiram.

Na última década, o controle de luz evoluiu com o desenvolvimento de redes wireless. Os díodos emissores de luz se estabeleceram como a grande novidade em smart home, sendo até 75% mais econômicos que outros luminosos.

Estes passos tornaram a iluminação sustentável, pelo uso de dimerização.

Com a dimerização de lâmpadas, a iluminação inteligente foi finalmente alcançada. Para além do controle de luz automático, a dimerização também proporciona que os integradores ofereçam soluções de alto valor, que integram iluminação e sensores ambientes.

Desta forma, a iluminação residencial é um serviço diferenciado cada vez mais lucrativo.

Nesta postagem, explicaremos os benefícios da dimerização de LEDs e por que você investir de vez nesta automação.

O que é a dimerização?
Dimerização de LED é a técnica mais econômica em energia elétrica

A dimerização é uma ação de controle de cargas em saídas de energia interligados à automação. Em iluminação, este recurso regula a intensidade luminosa da fonte, o que diferencia do simples acionamento, denominado de chaveamento.

O processo de dimerização é feito desde os anos 1950. Hoje, o método é feito através de controladoresdimmer – que reduzem a tensão de cada fonte.

Ao contrário de relés, que fazem o desligamento de carga, os dimmers permitem uma ampla personalização e gerenciamento de energia.

No projeto de iluminação, a dimerização tem variação de acordo com o tipo de modelo utilizado. Os principais tipos de dimerizáveis são:

  • Incandescentes;
  • Fluorescentes;
  • LED.

As lâmpadas incandescentes trabalham com filamentos, que permitem a dimerização direta dos equipamentos. Em geral, a técnica é feita pelo controle de tensão por tríodos e transistores de tensão nominal.

Sua utilização reduz a potência da lâmpada, trazendo economia e maior vida útil para estes luminosos.

Em outra mão, as lâmpadas fluorescentes fazem a dimerização por meio de reatores eletrônicos que alternam a corrente dirigida às fontes. Conectados com as saídas, os reatores controlam a tensão da lâmpada e são integrados à sensores de iluminação externa.

Por fim, a iluminação de LED é o modelo mais controlável, compatível e econômico para dimerização. Os LED não só emitem luz de forma autônoma, como possuem um alto controle de cor pela automação de iluminação.

No entanto, por ser fabricado em múltiplas lâmpadas e trabalhar com corrente contínua, os diodos requerem controle de tensão e potência conjunta, através de drivers. Estes equipamentos funcionam como os reatores, porém podem ser adquiridos a parte da automação escolhida.

A escolha do modelo de lâmpadas é essencial para a eficiência energética. Porém, é a qualidade de integração do projeto que fará diferença na economia e valorizará o serviço do integrador.

Por que a dimerização valoriza seu serviço de instalação?
Personalize sua iluminação de dimerização

Sem dúvidas, a maior vantagem do uso de dimerização está em seu valor agregado.

A beleza do projeto de iluminação não está na interatividade, mas em seu funcionamento conjunto com os demais sistemas automatizados.

Tudo funciona como uma orquestra. Para que a automação seja realmente objetiva, assim como a música, os participantes têm de atuar sobre ordens do maestro (o usuário) e mudanças de tempo (no caso, o ambiente).

Simultaneamente, uma edificação enfrenta iluminação externa, temperatura, ventos e outras intempéries meteorológicas. Por outro lado, os usuários inserem suas preferências através do ajuste de cenas e comandos diretos em interfaces (smartphone, interruptores).

Como fazer com que o sistema de automação, “sinta e responda” a estes fenômenos inesperados?

Além de rede distribuída ou centralizada, a estrutura precisará de periféricos que captem as mudanças, processe e transforme-as em dados.

Em sistema de iluminação inteligente, estes dispositivos de automação são os sensores, pulsadores, atuadores dimmer e controladores. Estes equipamentos integram iluminação aos demais sistemas residenciais através das cenas, proporcionando eficiência energética não restrita a operação de luminárias.

Isto mesmo! Porque nem sempre o desligamento de iluminação será a opção mais econômica.

Por exemplo, em uma situação de aumento da temperatura dentro de uma casa automatizada. Neste caso, a automação acionará uma cena para fechar as cortinas e dimerizar a iluminação, ao detectar consumo elevado pelo sistema de ar-condicionado.

Assim, quanto mais integrada pelos periféricos, maior será a capacidade do sistema de iluminação em economizar energia de forma inteligente.

Pelo lado do integrador, os projetos de iluminação mais complexos são muito mais lucrativos. Sistemas com topologias mais avançadas – a exemplo de soluções cabeadas – tem maior qualidade e consequentemente, maior custo ao usuário.

O segredo está em vender este valor da automação ao usuário. Lembre-se: quanto maior o orçamento para automação, maior serão suas funcionalidades.

Como instalar dimerização em lâmpadas LED?
Instalação profissional de LED precisa de sistemas de automação residencial adequado e flexível

Chegamos a parte técnica de nossa postagem!

Como vimos anteriormente, a dimerização de lâmpadas é uma técnica comum para projetistas e instaladores elétricos. O uso de dimmers já é uma prática consolidada no mercado, sendo muito requisitados em sistemas únicos de comando (stand-alone).

Porém, quando associada à sistemas de automação, permitem múltiplas possibilidades de personalização de projetos elétricos.

Em primeiro lugar, a decisão mais importante será escolher a empresa de automação mais apropriada ao seu serviço.

Tenha em conta a seguinte questão: sua solução de automação é realmente inteligente?

Um sistema inteligente é capaz de tomar decisões de forma autônoma, sem necessariamente depender da ação manual do usuário. No tópico passado, vimos que para isto, toda a instalação dependerá de uma estrutura de dispositivos ligados à rede.

Leve em conta os seguintes aspectos quando decidir ser um integrador de automação ou escolher sua marca.

  • Quantidade de canais dimerizáveis por atuadores e módulos;
  • Compatibilidade de equipamentos de dimerização com tipos de iluminação;
  • Tipos de sensores oferecidos pelas soluções;
  • Facilidade de configuração dos módulos dimmer (manual ou QR Code).

É importante também observar o grau de customização das soluções em relação a configuração de cargas em aplicativos. Dê preferência às soluções com software de automação de fácil ajuste fino das cargas em módulos de dimerização e disparo por ambientes da automação.

Se seu foco está na instalação de iluminação inteligente, opte por sistemas que possuam softwares e aplicativos pré-definidos de fábrica.

Qual sistema de automação é mais apropriado para seu cliente?
Luminárias incadescentes, fluorescentes ou LED? Saiba que tipo de dimerização é ideal

Observada a capacidade técnica da solução, é hora de pensar individualmente no projeto.

Quais são as necessidades e dores de seu cliente?

Toda a complexidade da instalação dependerá de quais sistemas o usuário integrará à iluminação dimerizada e quanto pretende investir. Neste momento, todo o detalhamento do projeto elétrico será feito observada as preferências estéticas e técnicas do cliente.

Levantadas estas questões, você determinará se o espaço precisará de uma instalação de uma solução estritamente cabeada ou wireless.

A opção pelo sistema sem fio é ideal para clientes com orçamento menor, interessados em soluções stand-alone ou pequenos imóveis (até 200 m²).

A dimerização das lâmpadas neste caso é feita por micromódulos específicos instalados junto aos interruptores. Não demandam alimentação por baterias – são conectados direto à rede elétrica – e podem substituir interruptores (função liga/desliga).

A depender da marca escolhida, o maior atrativo deste modelo de automação é a facilidade de configuração. Os equipamentos possuem integração por

Os sistemas de automação cabeados naturalmente tem um custo maior pela necessidade de obras e rede incorporada a estrutura do imóvel. Contudo, possuem alta resistência a interferências eletromagnéticas e quedas bruscas de energia.

Em geral, a dimerização nestas automações é feita por módulos multicanais de 220V. Estes dispositivos são instalados ao longo da rede para integração individual ou múltipla de atuadores por canal. Junto aos pulsadores, permitem o acionamento de cargas em múltiplos pontos do espaço automatizado.

Em projetos de grandes dimensões e muitas integrações de equipamentos, a opção pelo cabeamento é quase essencial.

No entanto, vale a pena observar se a sua solução possui opção de módulos híbridos. Sendo uma alternativa tanto Wi-Fi quanto cabeada, ela oferece a flexibilidade e robustez para projetos de automação.

Conclusão

A dimerização de LED incorporada a automação, é a melhor opção para a economia energética no campo da construção civil.

Hoje, a iluminação sustentável, mais do que um estilo de vida, está sendo incorporado às práticas das instituições. A substituição de luminosos de filamentos por LEDs na iluminação pública e a regulação deste mercado no Brasil, são a comprovação de que esta tendência veio para ficar.

O profissional de engenharia e instaladores de energia com pretensão de explorarem a automação residencial tem um interessante cenário.

O mercado brasileiro ainda é bastante inexplorado. Em relação ao segmento de iluminação inteligente, as opções stand-alone permanecem como predominantes. No entanto, muitos consumidores se mostram interessados com a comodidade e inovação em controlar equipamentos de áudio e vídeo.

Por que não oferecer ambos, em uma proposta de valor ao seu cliente?

Para isso, é ideal que você se torne um integrador de automação.

A Neocontrol é uma empresa de sistemas de automação residencial dedica a formar e oferecer as melhores soluções aos seus profissionais integradores. Fabricamos linhas cabeadas e sem fio em smart home completas para dimerização e gerenciamento de sistemas residenciais (iluminação, climatização, motores tubulares Somfy, áudio e vídeo e segurança).

Não perca mais tempo! Comece hoje mesmo seu processo de certificação Neocontrol se cadastrando no formulário abaixo.



Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

Empresa Beneficiada pela Lei de Informática nº 8248/91

r.ramos