Área do Integrador

Qual é a atual importância da automação residencial para arquitetos e designers de interiores?

Conheça três princípios que mostram porque a automação residencial para arquitetos e designers crescerá nos próximos anos.

Alta usabilidade é um recurso essencial para a personalização de projetos de automação residencial para arquitetos e designers

As inovações tecnológicas e as preocupações sobre a sustentabilidade estão transformando todos os setores da economia. Na área da construção civil, o crescimento da automação residencial para arquitetos e designers é um reflexo dessa nova fase seus profissionais. As smart home já são uma realidade em países desenvolvidos e contam com recursos inovadores.

No Brasil, o mercado de automação residencial está amadurecendo com novos serviços e produtos associados ao setor. As fabricantes nacionais oferecem soluções adaptadas à protocolos internacionais, e, simultaneamente, consolidam um importante mercado de representantes, os denominados integradores.

Contudo, muitos arquitetos e designers relutam em abraçar as soluções. Preocupados com a viabilidade e retorno, muitos não incorporam a automação em seus projetos. Outros argumentam que os projetos de casas automatizadas são caros e difíceis de configurar, tanto por clientes pelos próprios integradores.

Pois saiba que isto é um grande erro!

A atual automação residencial é uma lucrativa oportunidade para ampliar seus negócios a longo prazo. Além disso, as casas inteligentes estão alinhadas as melhores práticas em construção, proporcionando consumo limpo e comodidade ao usuário. Estes são apenas alguns dos motivos, que no final das contas, aumentarão o valor do projeto arquitetônico.

Caso esteja na dúvida, citaremos três fatores que tornam essencial a automação residencial para arquitetos e designers.

Usabilidade
Alta usabilidade é um recurso essencial para a personalização de projetos de automação residencial para arquitetos e designers

Em primeiro lugar, saiba que o uso de sistemas de automação residencial não limita sua criatividade. Pelo contrário, o planejamento de uma smart home amplia suas possibilidades de inovação em seus projetos arquitetônicos! Principalmente, pela capacidade de racionalizar todos os controles em um único sistema controlável de alta usabilidade ao usuário.

Este fator favorece na criação de projetos arquitetônicos eficientes em diversos aspectos. Principalmente, por conta da redução de controles para os diversos aparelhos de casa, dando mais liberdade ao arquiteto ao pensar a disposição do projeto em consonância ao aproveitamento do espaço.

Tal princípio, denominado ubiquidade, demonstra a capacidade de adaptação dos sistemas inteligentes ao espaço físico das residências. Quase sem serem notados, os sensores e atuadores atuam em apoio a centrais ou módulos cabeados, coletando dados e habilitando o ajuste de cargas elétricas.

Uma vez instalados, todos os aparelhos e sistemas residenciais podem ser programados para funcionamento simultâneo em aplicações, nas denominadas cenas. Elas são conjuntos de comandos de cargas secas, infravermelho e radiofrequência específicas, agendadas pelas interfaces da automação.

Para o comando eficiente da casa inteligente, torna-se necessário que estas interfaces sejam responsivas às necessidades e limitações do usuário. Hoje, as principais soluções do mercado têm compatibilidade com múltiplas interfaces (assistentes de voz, tablets e smartphones) e aplicativos totalmente personalizáveis pelo integrador.

Em interfaces de touchscreen, todo o trabalho é feito por meio de softwares específicos do sistema escolhido. A depender do tipo de automação residencial, nem sempre é necessário um conhecimento aprofundado em Programação para configuração destes aplicativos. Os melhores oferecem interface amigável, criação em drag and drop e templates prontos para customização.

Assim, os integradores podem criar – de forma simples – projetos intuitivos e funcionais ao usuário a partir da utilização de sistemas de automação residencial.

Sustentabilidade
A sustentabilidade em automação residencial para arquitetos está presente na dimerização e controle integrado de sistemas da casa

Um dos maiores destaques da automação residencial para arquitetos e designers, está em seu alinhamento com os princípios de sustentabilidade. Os projetos de casas automatizadas proporcionam o gerenciamento eficiente de energia e água, reduzindo o impacto sobre o meio-ambiente.

A preocupação com o consumo consciente foi um dos maiores promotores do crescimento do mercado de automação nos últimos anos. Para além do mercado residencial, a sustentabilidade foi um importante fator para estimular negócios no setor de hotelaria e automação corporativa.

Os sistemas de automação são ideais para o gerenciamento de consumo em edificações, que já respondem ao menos 40% do consumo mundial de energia. A automação corporativa consegue sanar o desperdício característico de sistemas de HVAC e iluminação de espaços empresariais. Principalmente se o projeto arquitetônico contemplar o aproveitamento de luz externa e integrá-lo ao funcionamento do smart office.

O planejamento do projeto arquitetônico ganha mais capacidade técnica com a automação do ambiente. Primeiro, por prever a utilização de sensores de captação de eventos – presença, termostatos e iluminância – que constatam o estado do ambiente. Segundo, por permitir a reação sobre estes eventos, coordenando o funcionamento de dimerização, ar-condicionado e cortinas motorizadas para adaptar o ambiente da casa as definições do cliente.

Em apoio aos sistemas, toda a escolha de materiais utilizados é baseada na arquitetura sustentável, com intuito de priorizar a eficiência energética das soluções. Acabamentos, revestimentos “verdes” e produtos utilizados no projeto luminotécnico – como LEDs e luminárias – são definidos neste momento.

Do ponto de vista do investimento, a sustentabilidade é manifesta também no seu custo-benefício em longo prazo. O retorno sobre o investimento é comprovado pela valorização de imóveis em até 20%. Com a utilização de automação wireless – que demanda menos intervenções no projeto, o retorno baseado na redução do consumo pode ser muito maior ao usuário final.

Acessibilidade
A acessibilidade é um princípio de automação residencial para arquitetos

As smart homes são uma das tecnologias mais avançadas para inclusão de idosos e portadores de necessidades especiais. Devido a possibilidade de comando por diversos tipos de interfaces, a automação inclusiva é um mercado bastante promissor para arquitetos e designers. Sobretudo pela sua associação ao conceito de design universal aplicado aos projetos arquitetônicos.

O design universal é um princípio de fabricação de produtos, na qual a maior qualidade dos mesmos está na capacidade de ser utilizado por qualquer indivíduo. No projeto arquitetônico, ele auxilia a distribuição e escolha de materiais que priorizam o conforto dos moradores de uma casa. Neste âmbito, os espaços não são necessariamente adaptados às características de um único usuário, mas se “adaptam” naturalmente a todos que moram na residência.

Além de ergonomia, estes projetos voltados à acessibilidade incluem o mapeamento das funcionalidades da casa às necessidades dos usuários. Não obstante, são baseados em entrevistas e cálculo de deslocamentos feitos dentro do espaço projetado. O que é um processo bastante complexo, já que todo projeto se torna um case único de planejamento.

Neste caso, a utilização de automação residencial para arquitetos e designers oferece recursos que aumentam a autonomia do usuário.

  • Automação residencial por voz, por meio de assistentes como Google Home e Amazon Echo;
  • Agendamentos de cenas de automação;
  • Sensores de presença, para acionamento de luzes;
  • Alarmes de incêndio e invasão, integrados a automação residencial;

Por fim, ressaltamos que estes projetos de casas automatizadas nem sempre são de alto custo, sobretudo se utilizado uma solução wireless. O usuário pode começar com soluções mais básicas – limitadas a dois sistemas residenciais– e a medida que gostar, expandi-lo. De toda forma, é uma opção viável que o arquiteto ou designer pode oferecer em seus serviços.

Conclusão

As soluções em automação residencial para arquitetos e designers estarão cada vez mais presentes no mercado brasileiro nos próximos anos. Anteriormente, ressaltamos que o mercado de automação residencial abrirá novas frentes de atuação e muitos delas serão interessantes aos profissionais de projeto.

Em destaque, os projetistas têm muito a contribuir na construção de projetos integrados de automação. Esta nova tendência, que visa o planejamento multidisciplinar da construção, já está sendo promovido pelas principais associações e empresas fabricantes. Caso tornem-se integradores, muito destes profissionais podem lucrar mais com a prestação de serviços ou

É preciso ficar atento também a novas tendências de arquitetura e bastante interessantes para o uso de automação residencial. Uma das mais recentes é a arquitetura minimalista. Caracterizada pelo estilo de vida despojado e redução de consumo material, é uma interessante área para aplicação de soluções de baixo custo como a automação wireless.

Interessado em mais notícias de automação residencial! Assine nossa newsletter e receba nossas atualizações no seu e-mail.



Empresa Beneficiada pela Lei de Informática nº 8248/91
Nossa Politica é : “Fornecer produtos que satisfaçam os requisitos dos clientes e do sistema de gestão da qualidade comprometidos com a sua melhoria contínua”.

Já vai? Aproveite para baixar gratuitamente o nosso Guia Completo de Automação Residencial e Gestão de Vendas!

Preencha e baixe agora mesmo.